Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘tédio’

( )

há um nada novo
no íntimo

um oco recém-nascido
ocupando o buraco
do velho vazio
morto de tédio
há pouco

Read Full Post »

ausência

o sol se nega a sair
e não venta

há dias fico à sombra
mofando idéias úmidas
e desculpas idem
penduradas no cabide

em Escritoras Suicidas
ed. 3 | dez/2005

Read Full Post »

ciclo

o tempo estende-se,
dias a fio,
contíguos,
que perduram
– pendentes –
pelas barras do destino.

                não demora,
                o tempo exíguo,
                recolhido,
                será passado
                a ferro brando.

[enquanto uma nova era
de horas aguadas,
na máquina do tempo,

espera…]

em Escritoras Suicidas
ed. 3 | dez/2005

em Germina Literatura – raros

Read Full Post »

o céu (sobre)
o chão (sob)
eu (sub)
urbana

enterrada
em neons
caos
shoppings
cinemarks
e parques
(sis) temáticos

em Escritoras Suicidas
ed. 11 | out / 2006

Read Full Post »

à francesa

1

nada sei
a não ser
do seio
do nada

: nódoa
que detona
tecidos

: nódulo
no dedo [médio]
do tédio

nada
nas mamas
calejadas
da poesia

ainda encontro a cura

seja na bula
na bíblia
na cabala

uma fuga
na bala
na agulha

2

nada sou/
serei
a não ser
um sopro de
savoir-faire

: adega
demi-sec
do saber

: adaga
– cega –
da sabedoria

nada
na língua
flácida
da poesia

ainda acho abrigo

seja nos livros
nos discos
nos vídeos

alguma verdade
na vaidade
no vício

3

nada sei
além do que
não paira
mínima
dúvida

: tudo enfim
finda
em nada

ainda resta uma saída

em Escritoras Suicidas,
ed. 22 | nov/07

Read Full Post »

a teus pés

aos domingos
sinto vontade
de jogar
ócio para o alto
e assistir caindo
– veloz
via remoto
[des]controle –
até tocar o solo

[ouço até o baque seco
do contato com o asfalto
vibro ao sangue
da não vida se esvaindo]

neste domingo
foi diferente: tive sede
gana de deixar tudo aí
no limbo tv
no lodo net
e simplesmente saltar
– saturado satélite –
do último andar
de um livro de ana c.

[livre
assim como ela:
ave]

Read Full Post »

o tédio
[ tema batido ]
de todo dia

a taquicardia
[ velha amiga ]
do peito tísico

o trauma
[ antiga trama ]
dos medos de tranças

o tempo
[ a toque de valsa ]
tricotando detritos

sorrir para o sol
que sai de assalto
e entra em cartaz
:
truque [ frustrado ]
de aprendiz

[ tornado
possível
é só
um invento
over
the rainbow
]

 

musicado por Rogerinho Borges

publ. em Escritoras Suicidas
ed. 11 | out / 2006

Read Full Post »

Older Posts »